quarta-feira, 21 de julho de 2010

Polyanna Arruda - Carta de alguém que clama por Justiça!


- Atualizado em 17.10.2012 -

Prezados amigos,
Dia 23 de setembro de 2009 vivemos o pior dia das nossas vidas! O desaparecimento da minha filha Polyanna e logo em seguida a notícia da sua violenta morte.Durante tres anos caminhamos sobre pedras...sofremos continuamente a dor da perda, o desespero diante da covardia e da violência do crime, a falta de esclarecimento, os fantasmas das suspeitas, o descaso das autoridades, inúmeras frustrações...
Dia 10 de outubro de 2012, há quatro dias do aniversário da Polyanna, finalmente temos a publicação da sentença dos assassinos desse crime cruel, estúpido, irracional!
Quero agradecer a todos que nos acompanharam através de emails, cartas, abraços, entrevistas, matérias nos jornais, publicações, passeatas, folhetos, outdoors, orações, trabalho investigativo da polícia, enfrentamento dos delegados e agentes, assistência jurídica, aconselhamento, divulgação, mobilização e acima de tudo amor à nossa família! A todos que abraçaram a nossa causa, muito obrigada!
Quero agradecer ao Ministério Público que sempre nos recebeu com seriedade e responsabilidade! Quero agradecer aos Promotores que acompanharam a investigação, que nos ouviram e não desprezaram as nossas dificuldades.
Quero agradecer aos Promotores de acusação Dr. Arnaldo Machado do Prado e Dr. Robertson Alves de Mesquita.
Quero agradecer a imparcialidade do Juiz Exmo.Dr.Wilton Müller Salomão que presidiu as duas audiências e publicou a sentença que envio a todos vocês neste email.
Quero agradecer a DEUS que nos sustentou de alguma forma nesse vale de sombras , afinal nós nem mesmo sabemos como é possível viver....
Tânia , Sérgio, Ludmilla e Priscilla





Histórico do Caso Polyanna

Abaixo-Assinado (#6565): Justiça para Polyanna Borges:

http://www.abaixoassinado.org/abaixoassinados/6565

 
 
 
Destinatário: Superintendência da Polícia Federal em Goiás









 
Filha, irmã, amiga, esposa, mulher, profissional.


A publicitária goiana Polyanna Arruda Borges Leopoldino, foi assassinada no dia 23 de setembro de 2009, o que a fez entrar para um hall triste, das estatísticas das tantas vítimas silênciadas pela tenebrosa e crescente onda de violêcia que atinge a nós.

Mais uma vida que foi retirada de uma pessoa de bem, mais uma ausência a ser sentida e choada por aqueles que a amam, mais um de nós que se vai por motivos menores, imbecis e de máxima crueldade.

Qual é o valor da vida humana? Qual é o seu valor, o meu valor?! Qual é o nosso valor?

Nosso sofrimento e de tantas outras famílias podem ser mensuradas por estatísticas e por providências que nunca são tomadas?!

Eu digo que nem Polyanna, nem eu, nem você, nem mais ninguém pode ser reduzido a uma estatística! Somos indivíduos, seres humanos, pessoas e partes integrantes das vidas e de sentimentos de tantas outras pessoas. Portanto não podemos deixar de tentar mudar essa realidade da melhor maneira que podemos…: Com a nossa voz, com a nossa vontade e militância pela paz e pela justiça.



Desde a notícia da morte da jovem, dezenas de denúncias anônimas foram encaminhadas ao Deic. A polícia já investigou as informações e constatou que a maioria são improcedentes. O caso é investigado por dois delegados e 30 agentes.



Polyanna foi vista pela última vez ao sair de casa, no Setor Bueno, na manhã de quarta-feira, do dia 23 de setembro de 2009. A publicitária ministraria palestra a alunos do curso de Publicidade da Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC), mas desapareceu a caminho do compromisso. No mesmo dia, a polícia encontrou o carro da jovem, parcialmente queimado, no residencial Caraíbas, região norte de Goiânia.


Na noite da quinta-feira, 24, o corpo de Polyanna foi encontrado em área erma do Residencial Humaitá, nas margens do Córrego Caveirinha, também região norte. A vítima apresentava oito perfurações, no peito, costas e braços. No local, a polícia encontrou cápsulas, supostamente de calibre 357 ou 38. A cena do crime indicava sinais de luta.


Embora estivesse nua, a perícia não constatou marcas de violência sexual. Polyanna fora despida depois de morta. O vestido que usava na data do crime apresentava perfurações de bala e estava manchado de sangue.

----------------------------------

Amigos.


Sei que a maioria de vocês não teve o privilégio de conhecer a pessoa maravilhosa que era a Polyanna. Uma das pessoas mais generosas, amorosas, solidária e prestativa que eu já conheci.... uma menina linda que sempre recebia as pessoas com um sorriso largo no rosto.... deixa saudades.... eternas.... mágoa de saber que tudo isso não faz mais parte de nossas vidas.... Me ajude a pedir JUSTIÇA pelo crime bárbaro que tirou essa “borboleta” de nossas vidas.... divulguem esse vídeo e caso possa ajudar de outra forma, entre em contato.

Abraços a todos, fiquem com Deus e obrigada.

Katiuscia Vasconcelos

Obs.: A Polyanna tinha verdadeira adoração por borboletas.... talvez seja porque se parecem... voam alto... são belas... tem o dom de encantar a todos que vê... e são inconscientemente FORTES E DELICADAS....



Amigos,


Faço meu apelo para que todos vocês repassem este e-mail.

Divulguem esse vídeo! Peçam por JUSTIÇA!


Vc que conheceu a Polyanna sabe como ela é especial, alegre e amorosa.


Vc que não conheceu a Polyana, veja este vídeo, olhe o sorriso dela.


Isso nos foi tirado, nos “foi arrancado” como a música diz.


Tire um pouquinho do seu tempo e repasse esse e-mail para os seus contatos. Faça seu apelo pessoal.


Faça isso por amor a essa família que sofre todos os dias a ausência de uma filha, uma irmã, uma esposa.


Jôze Gomes
jozygomes@hotmail.com 2010.04.12

-------------------------


Queridos...




Ainda que a dor aumente, ainda que o corpo desfaleça, ainda que eu me perca noite adentro, estarei buscando respostas para o ato cometido contra a nossa filha amada deixando a nossa família com a alma doente.


Por favor acesse:



http://www.youtube.com/watch?v=dmMFLuzGcQ8



Se você conhecer alguém que possa nos ajudar a encontrar caminhos para acelerar as investigações deste crime bárbaro,por amor, una se a nós. Divulgue!



Lutamos para chorar em PAZ!




Um grande abraço

Tânia
taniamaraborges@gmail.com Sat, 10 Apr 2010 00:47:06 -0300

--------------------------------



Antepassados de:


Pollyanna Arruda Borges



1a Geração

1. Pollyanna Arruda Borges (Sérgio Borges1) nasceu em 1983 e morreu a 23 Set., 2009 em Goiania, Goias, Brasil.

Outros eventos na vida de Pollyanna Arruda Borges

Profissão Empresária - Publicidade

Funeral Goiania, Goias, Brasil

Pai: 2. Sérgio Borges.
Mãe: 3. Tânia Mara Arruda nasceu em Goiania, Goias, Brasil.



2a Geração (Pais)

2. Sérgio Borges. Ele casou com Tânia Mara Arruda.
3. Tânia Mara Arruda (Euler Arruda Schmaltz1) nasceu em Goiania, Goias, Brasil.


Pai: 4. Euler Arruda Schmaltz morreu on an unknown date.
Mãe: 5. Carmem Naves Arruda nasceu em Araguari, Minas Gerais, Brasil e morreu on an unknown date.



3a Geração (Avôs)

4. Euler Arruda Schmaltz morreu on an unknown date. Ele casou com Carmem Naves Arruda.

5. Carmem Naves Arruda (Diomar Naves6, Osório Guimarães Naves5, José Venâncio Naves4, Venâncio José Naves "Coronel" 4_3, João Naves Damasceno2, João de Almeida Naves1) nasceu em Araguari, Minas Gerais, Brasil e morreu on an unknown date.



Pai: 6. Diomar Naves nasceu em Nova Ponte, Minas Gerais, Brasil e morreu on an unknown date.
Mãe: 7. Francisca Bittencourt morreu on an unknown date.




4a Geração (Bisavós)

6. Diomar Naves (Osório Guimarães Naves5, José Venâncio Naves4, Venâncio José Naves "Coronel" 4_3, João Naves Damasceno2, João de Almeida Naves1) nasceu em Nova Ponte, Minas Gerais, Brasil e morreu on an unknown date. Ele casou com Francisca Bittencourt.

Pai: 8. Osório Guimarães Naves nasceu em 1873 e morreu on an unknown date.
Mãe: 9. Flausina Floripes de Castro morreu on an unknown date.

7. Francisca Bittencourt morreu on an unknown date.




5a Geração (Trisavós)

8. Osório Guimarães Naves (José Venâncio Naves4, Venâncio José Naves "Coronel" 4_3, João Naves Damasceno2, João de Almeida Naves1) nasceu em 1873 e morreu on an unknown date. Ele casou com Flausina Floripes de Castro.


Pai: 10. José Venâncio Naves nasceu em 1829 e morreu on an unknown date.
Mãe: 11. Carolina Maria do Nascimento.


9. Flausina Floripes de Castro morreu on an unknown date.



6a Geração (Tetra(2)-avôs)

10. José Venâncio Naves (Venâncio José Naves "Coronel" 4_3, João Naves Damasceno2, João de Almeida Naves1) nasceu em 1829 e morreu on an unknown date. Ele casou com Carolina Maria do Nascimento.


Pai: 12. Venâncio José Naves "Coronel" 4_ nasceu Por volta de 1796 em Lavras - MG e morreu a 27 Jun., 1885 em Monte Carmelo - MG.
Mãe: 13. Gertrudes Maria Da Silva morreu on an unknown date.


11. Carolina Maria do Nascimento.



7a Geração (Tetra(3)-avôs)

12. Venâncio José Naves "Coronel" 4_ (João Naves Damasceno2, João de Almeida Naves1) nasceu Por volta de 1796 em Lavras - MG e morreu a 27 Jun., 1885 em Monte Carmelo - MG. Ele casou com Gertrudes Maria Da Silva na 1a vez.


Pai: 14. João Naves Damasceno "PATRIARCA" morreu a 30 Maio, 1831 em Lavras - MG.
Mãe: 15. Anna Vittoria de São Thomé nasceu Por volta de 1761 em Nossa Senhora da Conceição dos Prados - MG e morreu a 19 Maio, 1841 em Bom Sucesso - MG.

13. Gertrudes Maria Da Silva morreu on an unknown date.


8a Geração (Tetra(4)-avôs)

14. João Naves Damasceno "PATRIARCA" (João de Almeida Naves1) morreu a 30 Maio, 1831 em Lavras - MG. Ele casou com Anna Vittoria de São Thomé a 24 Jan., 1786 em Lavras - MG.

Outros eventos na vida de João Naves Damasceno "PATRIARCA"
Funeral Bom Sucesso - MG

Pai: 16. João de Almeida Naves morreu on an unknown date.
Mãe: 17. Luzia Moreira da Fonseca morreu on an unknown date.


15. Anna Vittoria de São Thomé (Antônio José Teixeira1) nasceu Por volta de 1761 em Nossa Senhora da Conceição dos Prados - MG e morreu a 19 Maio, 1841 em Bom Sucesso - MG.

Pai: 18. Antônio José Teixeira morreu on an unknown date.
Mãe: 19. Maria Rita do Nascimento morreu on an unknown date.



9a Geração (Tetra(5)-avôs)

16. João de Almeida Naves morreu on an unknown date. Ele casou com Luzia Moreira da Fonseca.

17. Luzia Moreira da Fonseca morreu on an unknown date.

18. Antônio José Teixeira morreu on an unknown date. Ele casou com Maria Rita do Nascimento.

19. Maria Rita do Nascimento morreu on an unknown date.