quarta-feira, 22 de abril de 2009

Altair Vieira de Faria Naves Pinto

- Atualizado aos 19 de março de 2014 -

6.1.7.1.4.4. “Altair Lima”

Produtor e ator de cinema, teatro e TV

Altair Vieira de Faria Naves Pinto, nasceu aos 10 de julho de 1936, em Barretos/SP; 4º filho de 6.1.7.1.4. Alzira Naves Vieira (quarta filha de 6.1.7.1. Antônio Naves Damasceno e de Tertuliana Carolina de Jesus) e de José Pinto Junior, "Palhaço Aleluia" (artista circense).
Mesmo com os percalços que acompanha as celebridades, Altair era muito próximo da família. Carinhoso com sua mãe, “tia Alzira”, nutria carinho pelas suas tias maternas, em especial a 6.7.1.5. Irinéia Naves de Campos e a 6.7.1.3. Ormezinda Naves Vieira.


Foi casado duas vezes, a primeira com a atriz Maria Célia Camargo, com quem teve dois filhos e a segunda com a também já falecida atriz Isabel Ribeiro, com quem teve três filhos.


Com o nome artístico de Altair Lima, produziu de dezenas de peças teatrais. Alcançou notoriedade e reconhecimento internacional ao produzir, no Brasil, o musical Hair, escrito por James Rado e Gerome Ragni (texto e letras das músicas) e Galt MacDermot (música). Estreou off-Broadway, em 17 de outubro de 1967 e, depois de 45 apresentações, foi para o Teatro Biltmore, na Broadway, em 29 de abril de 1968, onde foi à cena por mais 1.873 vezes.

Teatro
Altair Lima realiza a montagem brasileira do musical Hair

Menos de um ano após a assinatura do Ato Institucional nº 5, que instaurou a fase mais dura do regime militar, com cassações de direitos políticos em massa e prisão e torturas de adversários, estreava em São Paulo a montagem brasileira do musical Hair, no palco do Teatro Aquarius, mais tarde Teatro Zaccaro, no bairro do Bixiga.
(foto de Altair com atores do HAIR, em New York, USA, quando fechou o contrato dos direitos autorais em 1968.)
A iniciativa, ousada para a época, deveu-se a Altair Lima e a Ademar Guerra, este, responsável por várias realizações pioneiras do teatro brasileiro e que vinha de uma temporada exitosa com a polêmica peça Marat/Sade, de Peter Brook.

Ademar e o produtor Altair Lima tiveram que vencer várias dificuldades. Primeiro, a descrença de empresários teatrais de que era possível montar um musical do porte de Hair no Brasil. Depois de vencida esta resistência, veio outro problema: a censura.
A montagem original era repleta de cenas em que os atores apareciam nus, o que desagradou a censura. Seguiu-se uma penosa negociação e, ao final, os censores concordaram em que a nudez dos atores seria mostrada apenas uma única vez na peça, em uma cena com apenas um minuto de duração e na qual os atores deveriam permanecer absolutamente imóveis.Apesar das restrições, Altair e Ademar deram um tratamento requintado à cena, que caiu no gosto do público e da crítica e é lembrada até hoje como um dos grandes momentos do teatro brasileiro.

Hair marcou a estréia de vários jovens atores e atrizes, que depois se tornaram famosos por suas atuações no teatro, cinema e televisão. O elenco inicial era composto por Armando Bogus, Sônia Braga, Maria Helena, Altair Lima, Benê Silva, José França, Neusa Maria, Marilene Silva, Laerte Morrone, Aracy Balabanian, Gilda Vandenbrande, Bibi Vogel, Acácio Gonçalves e Pingo.

Sônia Braga, então com 18 anos, foi a grande estrela da peça, mas quase ficou de fora do elenco, pois não contava com a simpatia do diretor Ademar Guerra e só foi aceita por conta da insistência de Altair Lima. Entre os que se encantaram com Sônia, estava Caetano Veloso que compôs Tigresa em sua homenagem. Sônia era a tigresa de unhas negras e íris cor de mel, que trabalhou no Hair.

Ao longo da carreira da peça, que se estendeu até 1972, entraram as atrizes Ariclê Perez e Edyr Duqui (que depois faria parte do grupo musical As Frenéticas) e os atores Antonio Fagundes, Nuno Leal Maia, Ney Latorraca, Denis Carvalho, Buza Ferraz e Wolf Maia.
A direção musical da peça foi de Cláudio Petraglia, a coreografia, de Márika Gidali e a tradução das músicas para o português, de Renata Pallotini. Altair foi vencedor do prêmio Roquete Pinto pela interpretação e produção do musical Hair, na sua primeira versão, em 1969.
Televisão
Altair Vieira de Faria Naves Pinto, com o nome artístico de Altair Lima ou “Liminha” para os mais íntimos, foi Ator principal na novela brasileira "A Viagem", de Ivani Ribeiro, teve a sua primeira versão na TV Tupi em 1975 e os protagonistas principais eram esses:
Altair Lima – Dr. César Jordão; Eva Wilma – Dinah; Éwerton de Castro – Alexandre; Irene Ravache – Estela.

O sítio TH NEWS, de 10 ago 2008, na seção TOP 10 – Pais, traz a lista dos melhores pais da dramaturgia brasileira, seguinte: 9. Otávio Jordão (Altair Lima em “A Viagem”)


Na peça Mensageiro da Agonia





2003 Narradores de Javé (filme)






2001 Bicho de Sete Cabeças (filme) Dr. Cintra
2001 Roda da Vida (telenovela) Joaquim



1999 Louca Paixão (telenovela) Jacinto Leão





1997 Mandacaru (telenovela) Desidério - Na novela "Mandacarú" os protagonistas principais eram Altair Lima; Adriano Reys – Raul; Joana Fomm – Andreza; e outros.















1996 Xica da Silva (telenovela) Capitão do Mato Jacobino da Silva - Altair Lima é indicado para o prêmio de melhor ator.


1988 Chapadão do Bugre (minissérie) Tonho Inácio

1983 Parabéns pra Você (minissérie) Tito

1982 O Segredo da Múmia (filme)






1981 Os Imigrantes (telenovela) Antonio Hernandez







1981 Fruto do Amor (filme)





1979 Gaivotas (telenovela) Alberto (Altair Lima e Cleide Yáconis)






1976 Xica da Silva Intendente






1975 A Viagem (telenovela) César Jordão








1974 Corrida do Ouro (telenovela) João Paulo


1973 Um Intruso no Paraíso (filme)








1972 O Leopardo (telenovela) Vito de Almeida

1971 Hospital (telenovela)

1969 Algemas de Ouro (telenovela) Cláudio

1968 A Última Testemunha (telenovela) Maurício

1967 O Anjo Assassino (telenovela) Arthur




1967 O Grande Segredo (telenovela)
1967 O Morro dos Ventos Uivantes (telenovela) Heathcliff

1967 O Tempo e o Vento (telenovela)

1966 Ninguém Crê em Mim (telenovela) Otávio

1965 A Grande Viagem (telenovela) Henrique



1965 A Deusa Vencida (telenovela) Lineu







1965 Ainda Resta uma Esperança (telenovela) Guilherme

1965 Eu Quero Você (telenovela)

1964 Uma Sombra em Minha Vida (telenovela)

1964 A Gata (telenovela) Rodrigo

1964 Melodia Fatal (telenovela)
1963 As Chaves do Reino (telenovela)


DEPOIMENTOS:

Maria Eunice Naves disse...
...grande ator e produtor Altair Lima, hoje do "primo" Altair Naves Vieira Lima,e todas as suas vivências no currículo da saudosa Rede Tupi de Televisão,TVs Record,Manchete, Excelsior e Bandeirantes, a sua perfeição na arte de representar,a amplitude do seu carisma de ator e de homem de extraordinária beleza, bem como suas obras no âmbito do Teatro brasileiro e mundial.

Emoções eternas de Altair (Naves)Vieira de Lima Lima que se incorporaram aos telespectadores, tornaram-se "velhas Amigas" e boas conhecidas!

Com Remake ou sem Remake são emoções que estão por aí, à nossa volta, sempre prontas a encontrar alguém ou uma multidão para sintonizá-la, para apaixonar-se pelo galã e começar uma louca paixão, em mais um emocionante capítulo da telenovela brasileira. E se for aquela emoção bem trabalhada, tanto melhor. Se não, aguardamos um próximo capítulo.


Foram espetáculos como HAIR , JESUS CRISTO SUPERSTAR, GODSPELL, OH CÁLCUTA, espetáculos estes que marcaram uma geração, ávida de conhecimento e novidades do que estava acontecendo fora do Brasil.

Emissoras onde trabalhou:

TV Bandeirantes

TV Excelsior
TV Manchete

TV Record

TV Tupi
Altair Lima, com 66 anos, sendo 53 de profissão, morreu na madrugada do dia 24 para o dia 25 de dezembro de 2002 no seu sítio em Angatuba, no interior de São Paulo vítima de um ataque cardíaco fulminante. O último trabalho do ator foi a peça Hamlet - Mensageiro da Agonia, que estava em cartaz no Teatro Sérgio Cardoso.





Antepassados de:
Altair Vieira de Faria Naves Pinto “Altair Lima”

1a GeraçãoAltair Vieira de Faria Naves Pinto "Altair Lima" (#78) (José Pinto Junior "Palhaço Aleluia"2, José de Faria Pinto1) nasceu a 10 Jul., 1936 em Barretos - SP e morreu a 24 Dez., 2002 em Angatuba - SP.
Outros eventos na vida de Altair Vieira de Faria Naves Pinto "Altair Lima" (#78)

Educação: Teatro e Cinema

Profissão: Produtor e ator de cinema, teatro e TV

Funeral: São Paulo - SP


Pai: José Pinto Junior "Palhaço Aleluia" (#77) nasceu a 18 Abr., 1903 em Franca - SP e morreu on an unknown date.


Mãe: Alzira Naves Vieira Pinto (#37) nasceu a 25 Nov., 1907 em Uberaba - MG e morreu a 24 Dez., 1981.


2a Geração (Pais)José Pinto Junior "Palhaço Aleluia" (#77) (José de Faria Pinto1) nasceu a 18 Abr., 1903 em Franca - SP e morreu on an unknown date. Ele casou com Alzira Naves Vieira Pinto (#37) a 4 Nov., 1929 em Uchoa - SP.

Outros eventos na vida de José Pinto Junior "Palhaço Aleluia" (#77)

Educação: Circense

Profissão: Artista - Circo 8 Irmãos


Pai: José de Faria Pinto (#92) morreu on an unknown date.


Mãe: Guilhermina da Silveira Pinto (#91) morreu on an unknown date.


Alzira Naves Vieira Pinto (#37) (Antônio Naves Damasceno4, João Naves Damasceno3, José Francisco Naves 6_2, João Naves Damasceno1) nasceu a 25 Nov., 1907 em Uberaba - MG e morreu a 24 Dez., 1981.

Outros eventos na vida de Alzira Naves Vieira Pinto (#37)

Religião: Católico romano


Pai: Antônio Naves Damasceno (#30) nasceu em 1865 em Uberaba - MG - "Sacramento - MG" e morreu a 6 Ago., 1935 em Barretos - SP.


Mãe: Tertuliana Carolina de Jesus (#31) nasceu em Bagagem - MG e morreu on an unknown date.





3a Geração (Avôs)
José de Faria Pinto (#92) morreu on an unknown date. Ele casou com Guilhermina da Silveira Pinto (#91).

Guilhermina da Silveira Pinto (#91) morreu on an unknown date.

Antônio Naves Damasceno (#30) (João Naves Damasceno3, José Francisco Naves 6_2, João Naves Damasceno1) nasceu em 1865 em Uberaba - MG - "Sacramento - MG" e morreu a 6 Ago., 1935 em Barretos - SP. Ele casou com Tertuliana Carolina de Jesus (#31).


Pai: João Naves Damasceno (#32) nasceu a 16 Ago., 1840 em Araguari - MG e morreu em 1902 em Uberaba - MG.


Mãe: Maria Abadia (Naves) (#33) nasceu em 1844 em Araguari - MG e morreu em 1925 em Uberaba - MG.


Tertuliana Carolina de Jesus (#31) (Jeronimo Teixeira Sobrinho1) nasceu em Bagagem - MG e morreu on an unknown date.



Pai: Jeronimo Teixeira Sobrinho (#211) morreu on an unknown date.


Mãe: Candida Carolina de Jesus (#212) morreu on an unknown date.



4a Geração (Bisavós)João Naves Damasceno (#32) (José Francisco Naves 6_2, João Naves Damasceno1) nasceu a 16 Ago., 1840 em Araguari - MG e morreu em 1902 em Uberaba - MG. Ele casou com Maria Abadia (Naves) (#33).


Pai: José Francisco Naves 6_ (#122) nasceu em 1800 em Lavras - MG e morreu em 1865 em Iraí de Minas - MG.


Mãe: Anna Roza de Jesus (Naves) (#123) nasceu em 1813 e morreu on an unknown date.


Maria Abadia (Naves) (#33) nasceu em 1844 em Araguari - MG e morreu em 1925 em Uberaba - MG.


Jeronimo Teixeira Sobrinho (#211) morreu on an unknown date. Ele casou com Candida Carolina de Jesus (#212).

Candida Carolina de Jesus (#212) morreu on an unknown date.


5a Geração (Trisavós)
José Francisco Naves 6_ (#122) (João Naves Damasceno1) nasceu em 1800 em Lavras - MG e morreu em 1865 em Iraí de Minas - MG. Ele casou com Anna Roza de Jesus (Naves) (#123) na 1a vez.


Pai: João Naves Damasceno "Patriarca" (#275) morreu a 30 Maio, 1831 em Lavras - MG.


Mãe: Anna Vittoria de São Thomé (#276) nasceu Por volta de 1761 em Prados - MG e morreu a 19 Maio, 1841 em Bom Sucesso - MG.


Anna Roza de Jesus (Naves) (#123) nasceu em 1813 e morreu on an unknown date.

6a Geração (Tetra(2)-avôs)
João Naves Damasceno "Patriarca" (#275) morreu a 30 Maio, 1831 em Lavras - MG. Ele casou com Anna Vittoria de São Thomé (#276) a 24 Jan., 1786.
Outros eventos na vida de João Naves Damasceno "Patriarca" (#275)

Funeral: Bom Sucesso - MG

Anna Vittoria de São Thomé (#276) nasceu Por volta de 1761 em Prados - MG e morreu a 19 Maio, 1841 em Bom Sucesso - MG.






  • Vide - 

Matérias relacionadas:




3 comentários:

  1. Caríssimo Abilon,
    Meus louvores por nos revelar a raíz familiar do grande ator e produtor Altair Lima, hoje do "primo" Altair Naves Vieira Lima,e todas as suas vivências no currículo da saudosa Rede Tupi de Televisão,TVs Record,Manchete, Excelsior e Bandeirantes, a sua perfeição na arte de representar,a amplitude do seu carisma de ator e de homem de extraordinária beleza, bem como suas obras no âmbito do Teatro brasileiro e mundial.

    Emoções eternas de Altair (Naves)Vieira de Lima Lima que se incorporaram aos telespectadores, tornaram-se "velhas Amigas" e boas conhecidas!
    Com Remake ou sem Remake são emoções que estão por aí, à nossa volta, sempre prontas a encontrar alguém ou uma multidão para sintonizá-la, para apaixonar-se pelo galã e começar uma louca paixão, em mais um emocionante capítulo da telenovela brasileira. E se for aquela emoção bem trabalhada, tanto melhor. Se não, aguardamos um próximo capítulo.
    Já que a vida é movimento e, com certeza, o melhor virá. Então, que venham os " pecados capitais, babás, pequenas órfãs, mulheres de areia, laranja lima, barão, freiras, ciganas,
    escravas, senhoras, sinhás, cidadãos brasileiros... Uma viagem pelas eternas emoções...".

    Ao ator e produtor Altair, nossos aplausos pela histórica conquista da glória, nossos agradecimentos pela sua pessoal contribuição Cultural de nosso país!

    Minha particular homenagem de fã,
    Maria Eunice Naves

    ResponderExcluir
  2. Cara Maria Eunice,

    Sou a filha mais velha do Altair Lima,e fiquei muito comovida e grata com seus elogios referindo-se ao meu pai.

    Realmente o Altair Lima foi o grande percursor em trazer ao Brasil grandes musicais, coisa que poucas pessoas sabem e dão valor. Ele rompeu barreiras e na maioria das vezes os produzuiu com o dinheiro do próprio bolso, tudo pelo bem e amor à Cultura.

    Foram espetáculos como HAIR , JESUS CRISTO SUPERSTAR, GODSPELL, OH CÁLCUTA, espetáculos estes que marcaram uma geração, ávida de conhecimento e novidades do que estava acontecendo fora do Brasil.

    Altair era um apaixonado pelo o que fazia, adorava escrever, ler, interpretar, produzir, dirigir...ele amava sua profissão...profissão esta que escolheu pelo amor e dom que possuía, já que havia passado toda sua infância viajando com o circo de meu avô, que era o palhaço e dono. Eles e seus irmãos, passaram uma fase da infância fazendo parte deste mundo mágico e fascinante, o que consequentemente o impulsionou para a escolha de sua carreira.

    Muito obrigada pelo carinho,meu pai durante toda sua carreira, sempre fez questão em tratar com muito carinho seu público.

    Abraços,

    Ana Célia de Camargo Pinto

    ResponderExcluir
  3. Agradeço á todos os que se empenharam neste blog, dando-nos tantas alegrias em relembrar todas as emoções vividas com meu querido irmão Altair, e também tomar conhecimento das nossas raízes, que tanto sofreram, mas com as graças de Deus venceram inúmeras batalhas.
    Que a nossa geração também posa deixar para as próximas muitos e belos exemplos.
    Alair (Naves Pinto) Kager.

    ResponderExcluir